30/11/2012

O Luar


Edison Gil / Rodrigo Titarelli

Adentrando a noite,
O SOL sai de cena,
cede espaço a vossa Majestade: 
o LUAR!

O LUAR irresponsável,
atrasado e embriagado,
lança nuvens para todos os lados,

cospe estrelas cadentes,
rega céus, e melindra "gentes",
provando apenas ser...

Um cataclismo brando
que se inicia ao anoitecer,
sem coroa, mas com poder!

O LUAR, inalterável,
o rei dos loucos, e dos poucos (poetas)
que viram – nesse dia – O SOL morrer.

-

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Saudações amigo Nathanael,

      Valeu brother, um grande abraço!

      O Autor.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Saudações Parceiro,

      Juntos somos mais Fortes! Um grande abraço Titarelli!

      O Autor.

      Excluir
  3. Um belo cenário de poesia...

    Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações,

      Obrigado pelo carinho, um grande abraço!

      O Autor.

      Excluir
  4. Poema fantástico!!!
    Adorei,parabéns aos poetas talentosos!
    Beijosssssssssssssss. =))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações amiga Thatalyscal,

      Muito obrigado pelo carinho, seja sempre bem vinda!

      O Autor.

      Excluir
  5. Poema fantástico!!!
    Adorei,parabéns aos poetas talentosos!
    Beijosssssssssssssss. =))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações amiga Thatalyscal,

      Muito obrigado pelo carinho, seja sempre bem vinda!

      O Autor.

      Excluir