13/09/2010

Fragilidade


Edison Gil / Karla Julia

Equilíbrio frágil, este meu,
teço vindas que não chegam jamais,
mas quando te encontro, anarquista como eu...

Calo-me frente a tua paz

Solitário, com ideias canibais,
perdido , entre toda sorte de gente
num silêncio onde uma palavra é demais

Sigo meu rumo, rente aos atalhos teus
desviando-me do que ficou pra trás,
contigo meu tempo é a qualquer hora.

-

10 comentários:

  1. Lindíssimo poema !!!
    Simples e verdadeiro !
    Grande abraço e boa semana !

    ResponderExcluir
  2. Olá nobre poeta!
    Parabéns por mais essa expressão de sentimentos.
    Sem muitos artifícios você manda a sua mensagem com maestria!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  3. olá guri das grandes palavras
    adorei principalmente a parte
    de solitario com ideias canibais
    nussa viagei legall guri

    parabens guri
    bjim

    ResponderExcluir
  4. Minha fragilidade cada vez mais torna-se
    fortaleza, perante o respeito e a consideração
    que sabemos compartilhar.
    Obrigada, meu parceiro, que me torna mais forte simplesmente por dividir comigo meu poetar
    Karla Julia

    ResponderExcluir
  5. Meu caro amigo Edison, boa noite!!!
    Parabéns por nos presentear com mais um belo poema, simplesmente maravilhoso!!!
    Todos temos fragilidade para alguma coisa e muita das vezes nos completamos com o apoio da pessoa que amamos.
    Parabéns pela criação e postagem!
    Grande abraço e muita paz!!!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns!!! A imagem destes versos chega a doer...

    "teço vindas que não chegam jamais,
    Calo-me frente a tua paz
    Solitário, com idéias canibais,
    perdido , entre toda sorte de gente
    num silêncio onde uma palavra é demais
    Sigo meu rumo, rente aos atalhos teus"

    Gostei muito.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Às vezes nos sentimos frageis e silenciosos com nossos pensamentos, mesmo que nos atalhos possamos encontrar quem nós detém o coração.

    ResponderExcluir
  8. Quando por caminhos e atalhos, encontramos quem conosco divide força amor...nos tornamos serenos com a paz do outro e aí..existe só o momento presente!!!

    ResponderExcluir
  9. Belo poema, cada frase é tocante, mas a que mais me tocou foi "Sigo meu rumo, rente aos atalhos teusdesviando-me do que ficou pra trás..."
    Parabéns!

    ResponderExcluir