26/03/13

Entidade Fantástica

Sir Edison Gil

Engenheiros
no meu cérebro - cantam,
constroem ideias
de alvenaria,
são mais de mil
duendes travessos,
que se recusam
a trabalhar de dia,
e não há
nenhum suspense,
eles estão no hall
onde reside a alegria,
dentro do todo,
mas numa caixa vazia,
e se você reparar
não são nocivos!
Apenas engenheiros
fabricando a melodia,
a qual se distende
em castelos,
por sob as linhas
da caligrafia,
engenheiros da lua - de Urano
e edificadores,
da própria poesia!

20/02/13

Mundo Iminente

 
Sir Edison Gil

Do outro lado da mente,
há um mundo trancado,
pedindo para ser desgarrado,
do seu cadeado, e da sua corrente!

É um planeta presente,
onde não existe o passado,
apenas o hoje é estampado,
e o futuro é um convicto, já condenado!

Está bem distante da lente,
no pico de um universo fechado,
onde lunetas não enxergam o seu lado,
é um globo iminente, dentro da gente!

29/01/13

Larica Intelectual
















Sir Edison Gil / Rodrigo Titarelli (Dr Paxeco)

Provei cada letra como se fosse a última, 
quanta fome, quanta sede,
quanta gente sedenta por saber...

Esfomeadas por prazer,
necessitadas por querer,
e assombradas!
Presas nas sobras do poder!

Num País de analfabetos,
aceitam tudo de bom grado,
trocam votos por qualquer bocado,
e depois - com os olhos esbugalhados,
clamam por migalhas, mas morrem ignorados!

E não pense que é mignon!
Kobe Beef, caviar, ou peixe refogado!
O ponto aqui não é o mercado,
é a consciência, e a prudência de bom grado!

Haja conhecimento! Haja saber!
Haja cultura, e Haja espaço!
E menos carentes, em nossos estados!

(Sejam todos saciados)

30/11/12

Arte da Arte



Sir Edison Gil / Rodrigo Titarelli (Dr Paxeco)

Riscos coloridos,
traços sem sentidos,
manchas e rabiscos,
formas e deformações.

Arte indecifrável,
sob os instantes plenos de introspecção,
enigmas de árduas compreensões,
instalados em opacos corações,

ricos e feridos,
macabros e abatidos,
sábios e oprimidos,
afetados e campeões...

Ah, Arte incurável,
rente os tijolos que constroem a ação,
senhora digna de mil reflexões,
cubra-me com o seu manto,

e as suas razões!

O Luar


Sir Edison Gil / Rodrigo Titarelli (Dr Paxeco)

Adentrando a noite,
O SOL sai de cena,
cede espaço a vossa Majestade: 
o LUAR!

O LUAR irresponsável,
atrasado e embriagado,
lança nuvens para todos os lados,

cospe estrelas cadentes,
rega céus, e melindra "gentes",
provando apenas ser...

Um cataclismo brando
que se inicia ao anoitecer,
sem coroa, mas com poder!

O LUAR, inalterável,
o rei dos loucos, e dos poucos (poetas)
que viram – nesse dia – O SOL morrer.